Presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), recebe a presidente afastada Dilma Rousseff antes da abertura da sessão deliberativa extraordinária que trata do julgamento do processo de impeachment.Participam: senador Lindbergh Farias (PT-RJ); senadora Kátia Abreu (PMDB-TO)Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

BRASÍLIA – A senadora Kátia Abreu (TO) não é mais filiada ao PMDB. Em decisão unânime, o Conselho de Ética da legenda expulsou a parlamentar do partido e cancelou a filiação partidária dela.

A decisão foi acatada pelo presidente nacional da sigla, senador Romero Jucá (PMDB-RR). “A medida demonstra a nova fase de posicionamento do partido”, afirmou.

O desligamento de Kátia já era dado como certo entre correligionários. Em agosto, a comissão de ética do PMDB nacional já havia recomendado o afastamento da parlamentar.
 
À época, ela se defendeu alegando que o partido não havia proposto “nenhum tipo de punição a filiados condenados por crimes graves, como corrupção e formação de quadrilha”.
 
Ex-ministra da Agricultura no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, Kátia votou contra as reformas propostas pelo governo federal, como a reforma trabalhista, e nunca negou a oposição ao presidente da República, Michel Temer. Ela, inclusive, votou contra o impeachment da petista.
 
Em nota, o PMDB nacional comunicou que reforça o respeito às mais diferentes opiniões, mas enfatizou que não “tolerará mais desrespeito e ataques tão sórdidos como aqueles feitos em diversas oportunidades pela senadora”. Procurada pela reportagem, Kátia ainda não se manifestou.
 
Com informações do CB