Theodorico tem mais de 60 anos de vida pública. Foi deputado federal pela Arena, na década de 60, sigla que deu sustentação a ditadura militar.

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – A Reforma da Previdência acabou com o plano especial de aposentadoria do Congresso para os próximos congressistas, mas muitos ex -parlamentares vão continuar recebendo suas pensões até a morte.

É o caso de 13 ex-deputados do Espírito Santo que juntos recebem R$ 161.447,45. Os valores das pensões variam entre R$ 8.778,38 a R$ 20.884,83, décadas depois de deixarem os mandatos.

Os ex federais que recebem há mais tempo são Theodorico Ferraço e Max Mauro, que foi deputado na década de 80, até se eleger governador do Estado. Ferração, como é mais conhecido, está em atividade até hoje, disputando a reeleição para a Assembleia Legislativa.

Partido da ditadura

Ferraço tem mais de 60 anos de atividade política, e nunca ficou sem mandato. Foi federal pela Arena, partido que deu sustentação a ditadura militar, 1979-1983, ARENA, 1983-1987, PDS, e 1995-1997 pelo PTB.

Mas o maior vencimento é da ex-deputada Rita Camata – R$ 20.884,83. que foi deputada federal por cinco mandatos, e uma das mais atuantes da bancada capixaba. Desistiu da vida pública. Foi casada com o senador Gerson Camata, já falecido.

Nilton baiano cumpriu 4 mandatos e recebe até hoje quase 17 mil

Desconto era alto

Theodorico Ferraço (DEM) recebe uma aposentadoria de R$ 10.972,98. Ele cumpriu dois mandatos inteiros e no terceiro renunciou na metade para assumir a prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim – ES.

“A aposentadoria era automática quando o deputado perdia o mandato, isso acabou, mas a pensão continua, pois os próprios parlamentares contribuíam. Era descontado um alto valor do meu salário quando eu era deputado”, disse para a Agência Congresso.

Ferraço disse que não tem “amor” por Brasília, mas considera seus mandatos positivos. Apesar disso, disse ter se frustrado como deputado o que o levou a renunciar e voltar à prefeitura de Cachoeiro.

“O deputado federal tem muita frustração, nem sempre você consegue realizar as obras que você deseja para o seu município, para o seu estado, então fiquei um tempo em Brasília, mas acabei voltando para a prefeitura, depois voltei para a Câmara mais uma vez, sempre fiz a vontade do povo, o povo que me comanda”.

A deputada federal Norma Ayub (DEM), esposa de Theodorico Ferraço, votou a favor da Reforma da Previdência que acaba com a aposentadoria especial dos Congressistas.

Resultado de imagem para joão coser
João Coser, ex-deputado federal e candidato a prefeito de Vitória, de novo.


Principal petista do ES, João Coser, ex-estadual e federal – ex-presidente estadual do PT disse que sua aposentadoria foi baseada na legislação. Ele recebe mensalmente R$ 13.167,57.

“Depois que aposentei continuei trabalhando, atuei como prefeito, depois como Secretário de Estado, continuei recebendo mais ou menos o salário que eu recebia como deputado,  minha aposentadoria é 50% do salário de deputado, trabalhando meu rendimento aumenta em 7 mil, dependendo da função”, disse.

Sobre a Reforma da Previdência o presidente estadual do maior partido de oposição ao governo – PT, disse que não sabe opinar e que não está acompanhando.

“É muito difícil uma pessoa que está aposentada defender uma coisa diferente, mas sempre fui a favor que o teto da Previdência fosse pra todo mundo, deputados, senadores, desembargadores. Eu sei que estou defendendo uma coisa e fui beneficiado por outra, mas pensando no país, o justo é isso, se não acha justo faça uma previdência complementar para se aposentar com um salário melhor” disse para a Agência Congresso.

Resultado de imagem para max mauro
Max Mauro, ex-deputado federal e ex-governador do Espírito Santo


Aos 83 anos, o ex-governador do Espírito Santo, Max Mauro recebe uma aposentadoria de R$ 13.167,57 pelos três mandatos que exerceu como deputado (1978/1982 – PMDB, 1983/1986 – PMDB e 1998/2002 – PTB).

Max disse para a Agência Congresso que desde de 2002 recebe a aposentadoria, quando perdeu seu mandato de deputado federal. Quando foi eleito governador do ES, se recusou a receber a aposentadoria junto com o salário e disse ter recebido muitas críticas.

“Quando eu fui governador, queria acabar com isso, inclusive eu recusei a aposentadoria, e eles [assembleia legislativa] acharam um absurdo, recebi uma resposta por telefone muito rígida, eu achava que eu estando no governo do estado não deveria receber a pensão”.

Sobre a Reforma da Previdência e o fim da aposentadoria especial, Max Mauro afirma que “a tendência é essa, até que enfim isso chegou”.

Confira os valores das aposentadorias dos 13 ex-deputados federais do Espírito Santo:

Ex-deputado
Aposentadoria
Mandatos
JOÃO CARLOS COSER
R$ 16.495,641995-1999/ 1999-2003
JOÃO MIGUEL FEU ROSAR$ 16.495,641995-1999/ 1999-2003/ 2003-2007
JÓRIO DE BARROS CARNEIROR$ 8.778,381991-1995
LUIZ CÂNDIDO DURÃO
R$ 8.778,381995-1999/ 2001-2003
MÁRIO ALVES MOREIRAR$ 8.778,381975-1979/ 1979-1983
MAX FREITAS MAUROR$ 13.167,57

1978-1982/ 1983-1986/ 1998-2002 

NELSON ALVES DE AGUIARR$ 9.875,681983-1987/ 1987-1991
NILTON GOMES OLIVEIRAR$ 16.495,641991-1995/ 1995-1999/ 1999-2003/ 2003-2007
PEDRO CEOLIN SOBRINHOR$ 13.167,571983-1987/ 1987-1991
RITA DE CÁSSIA PASTE CAMATAR$ 20.884,831987-1991/ 1991-1995/ 1995-1999/ 1999-2003/  2007-2011
ROBERTO VALADÃO ALMOKDICER$ 8.778,381991-1995/ 1995-1999
STELIO DIASR$ 8.778,381983-1987/ 1987-1991
THEODORICO DE ASSIS FERRACOR$ 10.972,981979-1983/ 1983-1987/ 1995-1997

MATÉRIA PUBLICADA ORIGINALMENTE EM 10 DE AGOSTO DE 2019

Fonte: Transparência da Câmara dos Deputados.