- Publicidade -

BRASÍLIA – A senadora Rose de Freitas (MDB-ES) assegurou que irá negociar a tramitação rápida no Senado do empréstimo de US$ 271 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) ao governo do Espírito Santo para recuperação das rodovias estaduais.

O financiamento foi um dos  principais temas da reunião, nesta quinta-feira, 5, da bancada federal capixaba e do governador Renato Casagrande com a ministra da Secretaria do Governo, Flávia Arruda, no Planalto.

Participaram também os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que deve visitar o ES, ainda em agosto, a convite da senadora. E os deputados Da Vitória, Neucimar Fraga e Evair Melo.

O financiamento de US$ 271 milhões do BID ao ES tem de ser aprovado pelo Senado. Rose de Freitas deve relatar na CAE – Comissão de Assuntos Econômicos), depois, vai a plenário.

“O desenvolvimento do Espírito Santo não pode esperar”, enfatizou Rose de Freitas, para quem a reunião com o governo federal foi bastante proveitosa. Alguns dos projetos com verbas federais no ES tratados no encontro no Planalto, já haviam sido discutidos pela senadora com o ministro da Infraestrutura em audiência na última terça-feira, 3.

A homologação da Anac (Agência Nacional de Aviação) ao aeroporto de Linhares; a inclusão dos aeroportos regionais de Cachoeiro de Itapemirim e de Colatina no Plano Aeroviário Nacional; a duplicação de 21 quilômetros da BR101 entre Guarapari e Anchieta; o projeto da ferrovia EF-118, entre Cariacica e a divisa do Rio de Janeiro;  a contratação da duplicação da BR259 entre João Neiva e Colatina foram alguns dos temas da reunião, segundo relato de Tarcísio de Freitas.

A ministra Flávia Arruda prometeu ao governador e à bancada, conforme informação de Renato Casagrande, enviar ao Senado, ainda nesta quinta-feira, 5, a mensagem do Executivo solicitando a aprovação do empréstimo do BID.

Como ocorre em créditos externos a governos estaduais e municípios, depois de chegar ao Senado a mensagem presidencial é pautada para votação na CAE e encaminhada, normalmente no mesmo dia, à aprovação final do plenário. Só após este trâmite legislativo o financiamento pode ser efetivamente contratado.

(Com informações da Assessoria de Imprensa da Senadora)