Se assumir a PMVV, Cael pai (foto com Arnaldinho) vai trabalhar para eleger o filho, Victor, prefeito de Vila Velha.

VILA VELHA – AGENCIA CONGRESSO – Única novidade na política capixaba nos últimos tempos, o prefeito Arnaldinho de Vila Velha está sob pressão para escolha do seu candidato a vice.

Ele vai disputar a reeleição, de outubro, com boa avaliação do mandato. E existe a possibilidade do prefeito, ainda filiado ao Podemos, disputar o governo, em 2026, por outro partido.

Para tanto, teria que renunciar a seu segundo mandato – caso o conquiste – dois anos antes do fim. Dai a dificuldade de escolher um candidato a vice.

O prefeito Arnaldinho Borgo prefere o vereador e presidente da Câmara, Bruno Lorenzutti (MDB), seu fiel aliado.

Mas outros aliados do prefeito, como o PSB, preferem o ex-secretário de Planejamento da PMVV, Carlos Aurélio Linhalis, o Cael.

Vem a ser o pai do ex-vice-prefeito, Victor Linhalis, agora deputado federal, eleito por Arnaldinho. “O federal de Arnaldinho”.

Cael tem apoio do governador Renato Casagrande, são amigos de longa data. Mas o governador não pretende interferir. Já disse que se trata de uma escolha pessoal do titular do cargo.

Concentração de poder

Entre os aliados de Arnaldinho, no entanto, existem os que dizem que Arnaldinho já deu aos Linhalis um mandato de federal.

“O PSB orientou Cael a se afastar da PMVV e naturalmente conversou isso com Arnaldinho”, disse o governador Casagrande.

“Ele (Arnaldinho) tem tempo para fazer essa avaliação. O vice é uma escolha muito da relação do prefeito”, disse o governador em entrevista ao jornalista Vitor Vogas.

Por outro lado, quem trabalha para ser vice o vereador Bruno, é o vice governador Ricardo Ferraço, presidente do MDB, e também pré- candidato a governador em 2026.

Arnaldinho vai ter dificuldade para explicar – durante a campanha de reeleição – que busca um segundo mandato de olho no Palácio Anchieta.

É o mesmo problema que perturba o atual prefeito da Serra, Sérgio Vidigal (PDT), que está tentando não ser candidato a reeleição de olho no Palácio Anchieta. (Marcos Rosetti)