BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – O nome do candidato a vice, do governador de Renato Casagrande (PSB), para as eleições de outubro, só será definido após a escolha do candidato ao Senado.

Isso é consenso na base de apoio do atual governador. Essa semana surgiu mais um nome que pode ser a solução para atender ao Progressistas.

O nome do ex-secretário e ex-deputado Marcus Vicente, presidente regional do PP, para compor chapa com Casagrande. Ele, no entanto, diz que é candidato a deputado federal.

Já são quatro os citados para a vice governadoria. O problema é definir os critérios para essa escolha.

Aliados do governador avaliam que seria melhor um nome de centro direita, para somar com o PSB, que é de centro esquerda.

Mas o escolhido tem que ter voto para permitir a vitória no primeiro turno. Um nome do PT, é menos provável, mas não foi descartado. Isso anularia a pré-candidatura do senador Fabiano Contarato.

Na última pesquisa Ipec o senador apareceu com 11% de intenções e  surpreendeu o mercado político. Isso em função de Bolsonaro ter vencido em 2018. Agora em 2022 está perdendo para Lula no ES.

LEIA TAMBÉM 

Visita de Bolsonaro ao ES pode ter sido motivada por queda nas pesquisas

O que explica a queda de Bolsonaro no ES: os apoiadores do ainda presidente são campeões de rejeição. Magno Malta e Carlos Manato.

Até o momento PP e PSDB tem nomes para a vaga de vice. O ex-senador Ricardo Ferraço (PSDB) e o ex-presidente da Findes, Leo de Castro.

Essas duas legendas tem mais chances que o PT. Mas o jogo só será jogado mais pra frente. Antes das pesquisas e das convenções só veremos ‘balões juninos”

O próximo vice terá muita chance de governar o ES, considerando a possibilidade de Casagrande concorrer ao Senado.

Se isso ocorrer o vice terá um mandato de nove meses. E ainda poderá disputar a reeleição com controle absoluto da máquina.

Mas se os ventos estivem favoráveis, Casagrande vai escolher quem bem entender, independente da vontade dos aliados.