BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – O prefeito eleito da Serra, deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), está em Brasília para entregar o gabinete e o apartamento funcional.

Por ter sido eleito prefeito ele precisa renunciar ao mandato de deputado, o que garante dois anos na Câmara Federal ao suplente.

Vidigal será diplomado dia 17 no ES, e antes do Natal pretende voltar a Brasília para fazer a sua mudança, e do seu pai, que há cinco anos reside com ele em Brasília.

Será substituído na Câmara pelo suplente Neucimar Fraga (PSD), ex-deputado e ex-prefeito.

“Sou o único prefeito da Grande Vitória aliado do governador Casagrande”

 

Prefeitos Pazolini Vitória, Borgo Vila Velha, Vidigal e Euclério, Cariacica

Nesta entrevista para a Agência Congresso o deputado deixa claro que pretende apoiar o governador Renato Casagrande em 2022.

E reconhece que é o maior aliado do governador – entre os prefeitos eleitos em novembro na Grande Vitória.

“Somos aliados. Ele me apoiou e vou apoiá-lo em 2022, com certeza”.

Pretende anunciar seu secretariado dias 17 e 18, logo após sua diplomação.

Vai anunciar um corte de 35% nos cargos comissionados e nas secretarias municipais.

E não pretende aproveitar ninguém que tenha servido a administração atual do município onde ocorreu uma disputa muito acirrada.

Contra Bolsonaro

O deputado também lamentou não poder votar na eleição da mesa Diretora da Câmara “para dar um voto contra o candidato do presidente Bolsonaro. A eleição será em fevereiro e não serei mais deputado”.

O partido de Vidigal, o PDT, faz oposição ao governo atual e deve ou lançar um candidato ou apoiar o nome da frente de oposição criada pelo atual presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ).

Por fim, o futuro prefeito da Serra lamentou saber que seu suplente, Neucimar Fraga, deu nota 8 ao governo Bolsonaro e deve votar no candidato ‘bolsonarista’.

“Se soubesse disso não teria me candidatado a prefeito da Serra”, brincou.


LEIA TAMBÉM

“Eleição municipal deste ano foi ganha por Bolsonaro”, diz novo deputado