BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – O ex-PM Ronnie Lessa, assassino da vereadora carioca Marielli Franco, não estaria seguro no presídio de Tremembé, em São Paulo, estado governador por bolsonaristas.

O alerta foi feito pelo Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional de São Paulo, que pediu a transferência do preso para outra unidade. Em nota distribuída a imprensa, o sindicato afirma que o PCC já teria ordenado a morte de Lessa.

O sindicato enviou ofícios ao ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes; ao Secretário de Administração Penitenciária, Marcelo Streinfinger; à Desembargadora Ivana David, do TJSP, e ao promotor do Gaeco Lincoln Gakiya solicitando a reavaliação da transferência do ex-policial para Tremembé.

O pedido é embasado em denúncias recebidas pelo Sindicato que apontam um risco de segurança tanto para Lessa, quanto para os policiais penais da unidade e demais servidores.

Segundo o Sindicato, denúncia recebida por e-mail indica que o Primeiro Comando da Capital (PCC) teria decretado a morte de Lessa.

LEIA TAMBÉM