Uma nova consciência está nascendo,

Por Jane Mary Abreu

Tem muita gente estranhando a dinâmica da vida e se perguntando: será o fim do mundo? Tudo parece ter fugido do controle humano, a incerteza tomou conta de quase todas as mentes e o medo se espalhou como uma doença ruim.

Tudo no planeta está diferente, fugindo do previsível… é verão com cara de inverno… é inverno com jeito de primavera… pessoas se agredindo como feras selvagens…valores totalmente invertidos… definitivamente a coisa fugiu do padrão, não é mais a mesma.

E agora, para complicar ainda mais as coisas, surge o coronavírus e suas variantes, ameaçando a vida de todo mundo. O medo está no ar, todos temem alguma coisa, que ninguém sabe especificamente o que é.

A comunicação com o outro se tornou difícil, ninguém se entende mais… todos gritam e ninguém tem razão. A sensação que muitos experimentam é de sermos inadequadas, desnecessários…inúteis… a tecnologia nos diz isso a cada nova invenção.

A tal felicidade que prometeram para nós, a partir das conquistas materiais, não aconteceu. O trabalho, por mais brilhante que seja, não preenche mais as necessidades da alma, o vazio permanece inalterado dentro de nós. Nossos olhares continuam buscando soluções mágicas fora de nós…

Esse é o problema – nos ensinaram a buscar fora de nós o que só pode ser encontrado dentro de nós. Não há necessidade de nenhuma busca – esse é o segredo. A valentia de uma alma não está no IR, mas no FICAR.

Quando abandonamos as ilusões do mundo, quando paramos de buscar nos aeroportos as soluções para os nossos conflitos, e mergulhamos em nós mesmos, aí sim começamos a fazer o caminho de volta ao coração, onde estão todas as respostas, onde reside toda a paz que buscamos.

O planeta está em trabalho de parto, mas não é o fim do mundo. Pelo contrário, uma nova consciência está nascendo, ninguém duvida mais disso. Do jeito que a coisa estava indo, não iríamos chegar a lugar algum.

As famílias estavam se desintegrando, gerando uma legião de dependentes químicos. Não estou falando só da cocaína, mas principalmente das drogas lícitas, como o álcool e os ansiolíticos. Nas ruas, o que se vê é o álcool e o crack em franca expansão; dentro de casa, é a farra do rivotril. Duas formas de fugir da realidade, igualmente tóxicas.

O Universo sabe exatamente o momento de intervir. Se ele está consentindo com a onda de destruição que o coronavírus está promovendo é porque precisa ser assim. Nós escolhemos esse caminho quando nos recusamos a cultivar a nossa essência de luz.

Somos seres espirituais passando por uma breve experiência material, mas isso foi completamente esquecido, a maioria se entregou aos prazeres efêmeros do mundo material e se distanciou da Divindade que deveria conduzir todos os nossos passos. Com as nossas próprias pernas, e seguindo os comandos do ego, caminhamos na direção do abismo.

Estamos exatamente na beira do abismo, chegou a hora de decidir se andamos para frente, mergulhando na escuridão, ou se recuamos, dando início ao caminho de volta ao coração, na direção da luz. Pelo amor ou pela dor, o fato é que um novo tempo está nascendo, o planeta cansou da nossa indolência e está usando o coronavírus para despertar a humanidade.

Comece a se preparar para os novos tempos, quando o coração será finalmente a linguagem universal e o amor a única religião, quando as pessoas serão reconhecidas não mais pelos títulos sociais, mas pela beleza de seus corações.

Pratique o amor, não o reserve apenas para os seus parentes, vá além do núcleo familiar, não reduza aquilo que nasceu para ser grande e se expandir continuamente. Faça silêncio…

Quando você faz silêncio, quando o fluxo de pensamento em sua mente cessa, você entra em conexão imediata com a energia criadora do universo, se reintegra, acende em você a chama divina.  Neste momento, você começa a receber a energia cósmica que sustenta todas as formas de vida neste e em outros planetas. 

Na medida em que a energia divina vai penetrando em você, descendo pela coluna vertebral, uma aura de luz vai se formando em torno dos corpos etéreo e físico. Você começa a emanar o mais puro amor… os olhos ganham um brilho especial, os gestos adquirem leveza e suavidade, a voz se acalma… aí você só consegue pronunciar palavras doces, palavras de conforto e alegria. Lentamente você vai contagiando as pessoas à sua volta com uma aura de luz.

É por isso que os grandes mestres do Oriente dizem que meditar é um grande gesto de solidariedade, a maior contribuição que podemos dar ao processo de humanização do planeta. Quando você se ilumina, automaticamente muda toda a vibração ao seu redor e com isso ajuda a despertar outras pessoas. É uma ação de amor em cadeia.

A parte dentro de você que resiste à meditação, que evita o silêncio de todas as formas, é o ego. Ele é o único obstáculo à sua auto-realização. Enquanto ele está presente em você, a meditação não acontece.

Ele não pode ocupar o mesmo espaço da Divindade presente em você – são forças opostas. O ego se alimenta da ilusão, do efêmero e do jogo das aparências, em quanto o Divino é a sua verdade pura, cristalina, a essência que anima a sua alma. Medite!

Participe da grande obra de reconstrução do planeta. Faça a conexão com as energias superiores que estão trabalhando neste momento para o nosso despertar, para nossa recondução à consciência suprema – a casa do Pai.


Que você tenha hoje um dia luminoso, repleto de silêncio e paz… O Deus que vive em mim saúda o Deus que vive em você. Jane Mary.


Autora: Jane Mary Abreu
Gênero: autoconhecimento