BRASÍLIA – A inflação pode chegar a 7,7% em 2021 por causa da alta da conta de luz. A projeção é da XP Investimentos, que prevê um aumento de 0,31 ponto percentual da inflação diante do acionamento de uma nova bandeira tarifária, mais cara.

A XP refez a projeção para a inflação nesta 3ª feira (31.ago.2021), após o governo anunciar a criação da “bandeira escassez hídrica” para a conta de luz. A bandeira deixará a conta de luz 6,78% mais cara, a partir de 4ª feira (1º.set.2021).

SEM CHUVA, SEM VIDA

A “bandeira escassez hídrica” prevê uma taxa extra de R$ 14,20 para cada 100 kWh consumidos. É quase 50% mais que a taxa de R$ 9,49 que vem sendo cobrada na bandeira vermelha patamar 2.

Vigorará até abril de 2022, por causa da crise hídrica que reduziu o patamar dos reservatórios brasileiros e fez o governo acionar as termelétricas, que geram energia mais cara.

De acordo com os cálculos da XP Investimentos, esse aumento da conta de luz terá um impacto de 0,31 ponto percentual no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), já que a energia é um insumo que afeta os custos de diversos setores da economia.

Com isso, a empresa elevou de 7,3% para 7,7% a projeção para a inflação de 2021. O acionamento da nova bandeira tarifária também colocou um “viés altista” na projeção da Ativa Investimentos para a inflação de 2022.

A casa projeta uma alta de preços de 7,5% em 2021 e de 3,5% em 2022. O mercado financeiro e os grandes bancos brasileiros já projetavam uma inflação perto de 7% para 2021 antes do anúncio da nova bandeira tarifária.

Com Poder360

- Publicidade -