Deputado federal Evair de Melo (PP) e o Presidente da República, Jair Bolsonaro

BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – O presidente Jair Bolsonaro intensificou sua agenda de viagens pelo país, a partir do segundo semestre deste ano. Ele tem visitado pelo menos um estado por semana,maratona interrompida devido a cirurgia em São Paulo.

Bolsonaro pode ir ao Espírito Santo, ainda este ano, conforme informou o deputado federal Evair Melo, que fez o convite ao presidente e a dois ministros, de Infraestrutura, Tarcísio Gomes, e Desenvolvimento Urbano, Rogério Marinho.

De olho na reeleição em 2022, o Bolsonaro passou a andar mais após sua popularidade aumentar em função do pagamento do auxílio emergencial devido a pandemia de Covid-19. Já visitou no segundo semestre BA, PE, PI, MA,AL, SE e RN.

Estrada de ferro

Vice líder do governo na Câmara, o deputado federal Evair Melo (PP) foi quem fez o convite para Bolsonaro ir ao ES por ocasião da assinatura de renovação da concessão da estrada de ferro Vitória-Minas, no valor de R$ 8,5 bilhões a serem desembolsados pela Vale.

“Fiz o convite e foi aceito por ele e pelo ministro Tarcísio, e poderá ser para a assinatura da renovação da concessão e projeto da ferrovia Cariacica/Anchieta. Nessa oportunidade poderá visitar obras do Mestre Álvaro. Esse convite foi feito dia da aprovação da modernização da lei de portos e confirmada e live minha com o ministro Tarcísio”, contou.

O deputado disse ainda que o ministro do Desenvolvimento também foi convidado, porém, para tratar de outra agenda, das obras de recuperação das chuvas e projetos de habitação.

O contrato da ferrovia, segundo o deputado, está sendo preparado pelo Ministério de Infraestrutura, após ter sido aprovado pelo TCU – Tribunal de Contas da União.

A aprovação do TCU foi em 29 de julho, das renovação dos contratos de concessão de duas estradas de ferro administradas pela Vale.

Com a renovação, as estradas de Vitória a Minas (EFVM) e Carajás (EFC) receberão investimento de R$ 21 bilhões, sendo R$ 8,5 bi na EFVM e R$ 9,8 bilhões na EFC.

Além disso, o mecanismo de investimento cruzado permitirá usar parte do valor da outorga para a construção de novas ferrovias do Governo Federal com investimento privado.

A data da visita presidencial depende da conclusão do contrato, explicou Evair. “As ferrovias entram como contrapartida da Vale, mas são obra do governo, que irá depois administrar e concessionar”, acrescentou.

“É a consolidação de uma solução inovadora de fazer ferrovia no Brasil sem a utilização de recursos públicos. O investimento cruzado, utilizando outorgas de concessões ferroviárias, é uma das principais estratégias do Governo Federal para dobrar a participação desse modo na matriz de transportes nacional. Estamos mostrando que a restrição orçamentária não será um impeditivo para desenvolvermos a infraestrutura do país”, disse o ministro Tarcísio Gomes de Freitas em nota divulgada para a imprensa.