Em Brasília, União é dona de vários prédios residenciais.

BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – A Secretaria de Patrimônio da União (SPU) colocou mais 109 imóveis públicos à venda na semana passada, e já prepara a próxima rodada de alienações.

A ideia é oferecer mais 100 imóveis da União ainda neste mês. E, com isso, arrecadar mais de R$ 100 milhões.

“Estamos preparando mais 100 imóveis para o processo de venda. A meta é fazer esse novo lançamento em no máximo três semanas”, antecipou o secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, Fernando Bispo. 

Ele ainda contou que esses imóveis estão em vários estados brasileiros e terão uma “oferta ainda maior que a anterior”. Ou seja, podem permitir a arrecadação de mais de R$ 100 milhões para o governo federal ainda neste ano.

Na semana passada, a SPE lançou os editais de concorrência pública para a venda de 109 imóveis da União, localizados no Distrito Federal. Espírito Santo e mais cinco estados avaliados em R$ 99 milhões.

Foi a maior oferta já realizada pela União e também a primeira concorrência desse tipo a ser realizada pela internet.

Galpões do IBC e da Codesa estão na lista de imóveis que o governo vai vender.

A expectativa do governo, contudo, é lançar outros editais como esse para se desfazer de pelo menos 907 imóveis da União. Segundo Bispo, esses imóveis estão desocupados, mas continuam onerando o governo.

E outros edifícios ainda podem entrar nessa lista de vendas após a racionalização do uso dos imóveis públicos, que teve o primeiro passo anunciado nesta segunda-feira (03/08) pela SPU.

“É um movimento natural do governo. Os imóveis entram de várias formas, mas depois os órgãos são extintos, mudam sua forma de trabalho. Quando não há uso do imóvel, faz-se a alienação”, afirmou Bispo, dizendo que a ideia da SPU é reduzir os custos e ampliar a arrecadação do governo, mas também deixar de ser uma “gestora de imóveis”.

(Com informações CB Economia)

LEIA TAMBÉM

http://www.agenciacongresso.com.br/armazens-do-extinto-ibc-em-jardim-da-penha-podem-dar-lugar-a-predios-e-lojas-comerciais/