BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO –  O atual deputado estadual Josias da Vitória (PPS-ES) ex-cabo da PM, se elegeu deputado federal no último dia 07 de outubro, com a terceira maior votação para a Câmara Federal.

Ele afirma estar contente com a sigla que recentemente escolheu para se filiar. Até março deste ano era filiado ao PDT. Dá Vitória conta que sua decisão de sair da legenda trabalhista decorreu do fato de que sua presença ali era um incômodo para a legenda, como para ele.

“O PDT apoia a gestão do governador Paulo Hartung. Mas não com o meu voto. Sempre fui independente e crítico ao mandato dele”, explica.

Municipalista

Eleito com 74.787 mil votos para deputado federal, o novo parlamentar afirma que sua votação é graças a 25 municípios do estado.

“Vou honrar cada voto com muito trabalho para atender as necessidades da minha região e do meu estado”, acrescentou.

O parlamentar descartou se lançar a prefeitura de Colatina em 2020. “Não disputo cargo de prefeito. Mas vou apoiar vários candidatos na próxima eleição”, prometeu.

Bolsonaro

Eleitor e apoiador da eleição do novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), ele comentou que cumprirá a decisão do presidente do seu partido, PPS, Roberto Freire, que já anunciou oposição por parte da legenda ao governo do militar.

“Olha, a minha ida para o PPS foi devido a excelente relação que eu tenho com o prefeito de Vitória [Luciano Rezende] e os membros daqui”, contou.

“E também devido a história do Roberto Freire que eu passei a admirar. E aumentou a minha admiração quando me recebeu, em Brasília, respeitando as decisões de cada parlamentar”, continuou.

“Eu votei no Bolsonaro. Eu não acredito neste discurso do PT porque acho que já está vencido e venceu. Agora sobre a nossa posição na Casa, vamos seguir o nosso presidente Roberto Freire que estará do lado dos brasileiros”, comentou.

“Se for contra o Brasil, vamos votar contra. As medidas que forem boas, acredito pela coerência do Roberto Freire, pela envergadura, pela liderança e pela maturidade política, nós vamos estar do lado dos brasileiros”, explicou.

“Eu estou falando a minha impressão. Pois eu estarei do lado do Brasil”, emendou.

Questionado se faria oposição ao governo Bolsonaro, Da Vitória respondeu afirmando que “sempre conviveu internamente” com os partidos que já foi filiado e que não haverá “nenhum voto contrário do PPS contra a população do Brasil”, despistou.

“Se tiver alguma coisa que vá contra a coletividade, eu não vou estar junto”, observou.

Foto: Da Vitória foi uma aposta dos prefeitos Juninho de Cariacica e Rezende de Vitória atendendo a pedido da executiva nacional que não entendia porque o ES não conseguia eleger um deputado federal administrando duas cidades importantes da Grande Vitória.E ele concorreu pela coligação de Casagrande (foto) eleito governador no 1 turno.