Brasília – Agência Congresso – Graças a um pedido de vistas feito pelo deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), o projeto que concede anistia aos policiais militares capixabas presos pela greve da categoria deflagrada, em fevereiro, não foi aprovado na comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

No início do ano o estado do Espírito Santo viveu dias conturbados e de extrema violência nas ruas com índices alarmantes de assaltos, roubos e homicídios após os policiais cruzarem os braços alegando “péssimas condições de trabalho” e baixos salários.

A proposta já aprovada na comissão de Segurança Pública da Casa recebeu o parecer favorável da relatora na comissão de Relações Exteriores, deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Em seu voto, a parlamentar fluminense afirma que ao analisar a proposição “não há como negar o seu mérito”.

“A injustiça praticada pelo Estado ao não proporcionar a correspondente contraprestação aos policiais militares pelos serviços por eles prestados, muitos com anos tentando, sem sucesso, negociar melhores condições salariais”, é argumento notório para a concessão da anistia, afirma.

Bancada da bala

A “bancada da bala” como é conhecida o grupo de parlamentares que atua nos temas legislativos referentes à segurança pública contava com a aprovação da matéria.

Integrante do grupo que quer aprovar a iniciativa, o deputado Carlos Manato (SD-ES) lamentou o adiamento da votação. Entretanto, ele lembrou que qualquer parlamentar pode pedir vistas de um projeto.

“Apesar do parecer da assessoria do PT em aprovar o projeto, ele (Chinaglia) foi contra o parecer [do próprio partido] e pediu vistas. [O que] é regimental. Tem que respeitar”, comentou.

Procurado pela reportagem da Agência Congresso, o deputado Arlindo Chinaglia afirmou que o pedido de vistas é “para refletir e poder decidir o voto”.

“Houve greve de agentes armados e de um dia para outro as mortes violentas aumentaram para mais de cem. Força policial sem disciplina perde um pilar central”, argumentou Chinaglia.

A proposta de número 6882/17 é de autoria do deputado Alberto Fraga (DEM-DF). Sendo aprovada no colegiado de Relações Exteriores, será analisada ainda na comissão de Constituição e Justiça, antes de seguir para deliberação do plenário.

Manato, que faz oposição ao governo Hartung no estado que é a favor da concessão da anistia aos policiais. Acredita que irá aprová-la na Câmara até o final do ano. “Tentaremos”, falou.

 

Por Humberto Azevedo