À esquerda, o deputado Amaro Neto, quem menos fez discursos na Tribuna da Câmara. À direita, deputada Dra Soraya, com o maiori número de discursos feitos, entre os membros da bancada

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – Os deputados da Bancada Capixaba fizeram 296 discursos no plenário da Câmara em nove meses de mandato.

Quem menos falou foi o parlamentar mais votado da Câmara, ano passado, Amaro Neto. Já a novata Dra. Soraya foi quem fez mais pronunciamentos no período.

O segundo lugar ficou com o deputado Josias da Vitória, coordenador da bancada capixaba. Amaro, Lauriete (PL) e Norma Ayub (DEM) foram os três que menos falaram. A bancada tem dez deputados.

Amaro que tem pretensão de ser candidato a prefeito fez apenas um discurso no dia 16 de maio, mas disse que o número de discursos não define se o parlamentar é atuante.

“A prova disso é que somos primeiro lugar da bancada em número de projetos apresentados no primeiro semestre (44), dois projetos aprovados em comissão, 13 relatorias (pareceres aprovados em comissões) e 100% de presença nas sessões”, disse o deputado.

“A rotina parlamentar não se concentra apenas nas atividades em plenário. Além das sessões, realizamos atendimento no gabinete e atuamos na Comissões, onde os debates são mais propositivos e específicos”, acrescentou.

Em seu único discurso, Amaro criticou o alto índice de desemprego no país, e destacou a importância do trabalho para o povo capixaba em sua fala: “o trabalho é tão importante para os capixabas que o lema da nossa bandeira é ‘Trabalha e Confia’”.

O deputado lamenta que a situação do país esteja do mesmo jeito “se olharmos especificamente para nosso estado, a taxa de desocupação ainda é alta, embora quase 70 mil tenham conseguido emprego em 2019. São mais de 200 mil capixabas desempregados, tendo que recorrer à informalidade.”, afirma. Ele acredita que as reformas podem mudar o rumo da economia.

A deputada Lauriete só fez três discursos na tribuna da Câmara, mas acha que falar pouco em plenário não significa ser menos atuante, para ela é preferível falar pouco do que “vulgarizar” a Tribuna.

“Usar o microfone em pronunciamentos e apartes não é difícil, mas o Brasil não precisa somente nos ouvir, precisa nos ver exercendo o nosso papel em benefício ao povo brasileiro.”, disse a deputada.

Amaro e Lauriete compartilham da mesma opinião: “o mandato não é limitado ao plenário, nas votações importantes e nos longos discursos, mas também apresentação de projetos de lei com alcance social” afirma a deputada e destaca:

“Este ano já apresentei 28 projetos de lei. Devemos também olhar para os municípios levando recursos para os prefeitos, que sofrem com a crise econômica. O mandato vai até 2022 e teremos muitas oportunidades para levar mensagens necessárias para o povo. Falar por vaidade não passa credibilidade”.

Do outro lado da balança, a deputada que mais falou no plenário, Dra Soraya (PSL), com 138 discursos feitos, acredita que está cumprindo as expectativas de seus eleitores e é categórica:

“A Tribuna do Plenário é livre para que qualquer um de nós parlamentares possa se pronunciar e é nesse lugar que falo e continuarei expressando minhas opiniões, sugestões e pronunciamentos a qualquer tempo e quando eu achar necessário”, disse Soraya.

A assessoria de imprensa do deputado Sergio Vidigal (PDT) disse por meio de nota que a atuação dele é maior nas comissões do que no Plenário, onde, segundo a nota, quem fala mais são os líderes e vice-líderes.

Confira o número de discursos de cada deputado da Bancada Capixaba no primeiro ao do mandato: fonte: portal da Câmara dos Deputados:

DeputadoNúmero de discursos
Amaro Neto (Republicanos)1
Norma Ayub (DEM)2
Lauriete (PL)3
Sérgio Vidigal (PDT)5
Helder Salomão (PT)8
Ted Conti (PSB)10
Felipe Rigoni (PSB)16
Evair de Melo (Progressistas)49
Da Vitória (Cidadania)66
Dra. Soraya (PSL)138

Reportagem Lanna Silveira