Se Terra sair, o capixaba Lelo Coimbra vai junto.

BRASÍLIA  – AGENCIA CONGRESSO – Mais um ministro do governo Bolsonaro deve deixar o governo em função de mudanças provocadas por disputas de grupos governistas.

Osmar Terra da Cidadania cujo desempenho é bem avaliado até pela oposição – deve perder a função para abrigar outro aliado do presidente.

Terra é deputado federal licenciado pelo MDB do Rio Grande do Sul, e ocupou a mesma pasta no governo de Michel Temer.

Tudo indica que ele sairá para abrir espaço para outro aliado de Bolsonaro, o também gaúcho e deputado federal licenciado Onix Lorenzoni, que estava esvaziado na Casa Civil.

Nos corredores da Câmara Federal fala-se que Terra deverá ser indicado para alguma embaixada do Brasil. Já seu principal secretário, o capixaba Lelo Coimbra, também pode ficar sem cargo.

Lelo, no entanto, negou que Terra esteja saindo. Ele se manifesttou no grupo de whatsapp do site Agência Congresso.

“A notícia não se confirma. Osmar continua ministro!”, disse o ex-deputado às 20h30 desta quarta-feira.

Mas todos os grandes jornais do país noticiavam a mesma coisa, que Terra daria lugar a Onix.

Intrigras

Para o lugar de Onix, que era ministro da Casa Civil, deve ir o general Walter Braga Netto, atual Chefe do Estado-Maior do Exército e que comandou a intervenção no Rio de Janeiro em 2018.

Agora dentro do Palácio do Planalto todos ministros são de origem militar. Antes da mudança ser divulgada, uma possível fraude em contratos de serviços de tecnologia do Ministério da Cidadania foi divulgada contra Osmar Terra.

Embora Terra seja considerado um aliado de Jair Bolsonaro, tem sido comum nos últimos meses ouvir no Palácio do Planalto que o ministro não apresentava um desempenho satisfatório numa área vital, que é a social.

Na verdade a fritura tinha o objetivo de desgastar Terra, que chegou a criar com sucesso o 13º salário do Bolsa Família.

As denúncias de fraude surgiram junto com a possível indicação de Onix para o ministério de Terra.