VITÓRIA – AGENCIA CONGRESSO – O governador Paulo Hartung está de novo em busca de um partido político. Ele não quer permanecer na legenda que abriga o presidente da República e presidente de honra do MDB, Michel Temer, que poderá ser alvo, pela terceira vez, de investigação por corrupção.
 
Hartung e Temer deveriam se encontrar hoje em Vitória, por ocasião da inauguração do novo aeroporto da capital capixaba. Mas em cima da hora o governador desistiu de comparecer, após saber que a PF havia prendido amigos do presidente, na operação Skala, que apura pagamento de propina no Porto de Santos.
 
E divulgou essa nota para a imprensa nacional:  O País amanheceu, mais uma vez, sobressaltado com fatos políticos preocupantes. Apoio a investigação dessas denúncias com profundidade e, como democrata que sou, também defendo o amplo direito de defesa de todos os citados. Mas ressalto que os episódios políticos sucessivos e graves dessa natureza têm prejudicado o País e a economia, trazendo prejuízos sociais com impacto direto na vida das pessoas, particularmente os mais pobres.”
 
OPORTUNISMO
 
Hartung viu na ruína do presidente a chance de faturar politicamente. E faturou. Acabou aparecendo no JN descolado da figura presidencial. O que ajuda seu projeto de disputar cargo de vice presidente da República, espaço que não terá no MDB, que já bateu o martelo em favor do ministro Henrique Meirelles.
 
As consequências do rompimento político com Temer podem custar o fim do controle do MDB no estado, presidido pelo fiel aliado deputado Lelo Coimbra. É tudo que a senadora Rose de Freitas deseja “libertar o MDB capixaba”.
 
O ministro Eliseu Padilha viu a entrevista de Hartung na imprensa nacional após retornar a Brasília – é ele quem controla o MDB nacional – e taxou de traição as críticas do governador a Temer, ”justo no dia em que o presidente entregava uma obra tão aguardada pelos capixabas”.
 
ESPELHO MEU
 
No grupo de whatsapp da Agência Congresso o deputado Sérgio Majeski (PSDB) escreveu: A lógica de PH: o seu secretário da Casa Civil foi condenado em primeira instância. O secretário de Agricultura tem mais de 10 denúncias no MP e algumas já viraram processo no TJ.
 
O subsecretário de logística, transporte e comércio exterior teve os bens bloqueados pela justiça. O próprio PH É réu no caso do posto fantasma de Mimoso. Entre outros casos, mas O “ilibado e coerente” governador achou que ir a inauguração do aeroporto iria “queimar seu filme”, ataca o tucano e completa: há menos de um mês PH foi homenageado por Temer.
 
DESTINO
 
A opção mais viável para Hartung é o PSD do ex-prefeito de SP Gilberto Kassab, uma sigla que o governador já controla no estado. Outra sigla do seu arco de aliança, o PSDB, seria mais complicado devido a presença do senador Ricardo Ferraço, candidato tucano a reeleição.
 
O PRB da igreja universal, que também apoia o governo Hartung no ES, também seria uma opção. Mas já tem pré-candidato majoritário, deputado Amaro Neto, outro nome para o Senado. “Mas não existe nenhum acordo que não possa mudar”, lembra um experiente ex-deputado federal, avaliando a possibilidade de Amaro sair para federal.
 
Deputados presentes ao ato em Goiabeiras acham que Hartung perdeu pontos ao faltar a inauguração. E questionam com que cara ele vai ”passar o pires em Brasília” depois dessa desfeita.
 
O governador tem até dia 7 para descer do muro. Dia 21 do mesmo mês completa 61 anos.
Ele sabe onde pisa. Se mudar de partido será sua sexta filiação. Já foi do MDB, PPS, PSB, PSDB, PMDB.
 
E como gosta de surpreender o mercado político, pode ser candidato a qualquer cargo, ou a nenhum. Quem sabe nos brinde com um ano sabático em Londres? (MR).