Revista Veja Matéria: Presidente da República Jair Bolsonaro, concede entrevista a revista Veja. Personagem: Jair Bolsonaro, presidente da República Foto: Cristiano Mariz Data:29/05/2019 Local: Palácio do Planalto - Brasília - DF
Falou mais à Record, ao SBT e à Band. Reuniu-se com 5 jornalistas no Planalto. Recebeu 16 executivos e donos de mídia. Recebeu ainda 114 jornalistas em cafés.

BRASÍLIA – Jair Bolsonaro concedeu 31 entrevistas exclusivas desde quando assumiu a Presidência da República, em 1º de janeiro de 2019.

Em 8 meses (até 30 de agosto), o presidente falou a 22 veículos e quatro canais do YouTube.

Foram 17 entrevistas para telejornais e programas de TV; 4 para canais do YouTube; três para programas de rádio; e sete para sites de notícias.

Os grupos de empresas de comunicação que mais tiveram acesso a Bolsonaro foram: SBT (5); Record (5); Band (4); Globo (2); e Jovem Pan (2).

A primeira entrevista exclusiva de Bolsonaro após a posse foi para os jornalistas Carlos Nascimento, Débora Bergamasco e Thiago Nolasco, do jornal SBT Brasil, em 3 de janeiro. A mais recente foi à atriz Antonia Fontenelle, que tem um canal no YouTube.

Bolsonaro também reuniu-se em 9 ocasiões com 5 jornalistas e em 21 ocasiões com 16 executivos e donos de mídia no Palácio do Planalto.

O grupo mais recebido foi o da Record: oito representantes da empresa estiveram com o presidente. Já o jornalista mais recebido foi o ex-Globo Alexandre Garcia: 4 vezes.

Ao todo, o presidente esteve com 31 jornalistas para conceder as entrevistas. Destes, 14 foram recebidos no Palácio do Planalto.

O jornalista Eduardo Ribeiro, para o Jornal da Record, foi o único a entrevistar Bolsonaro no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo – onde o presidente esteva internado devido a cirurgia para retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal. A entrevista foi em 13 de fevereiro.

Já Thiago Nolasco, da Record, foi o único recebido no Palácio da Alvorada, em 26 de maio. A entrevista foi exibida no programa Domingo Espetacular.

Eis os jornalistas e donos de canal no YouTube recebidos no Planalto para entrevistar o presidente:

  • Carlos Nascimento, SBT Brasil, do SBT;
  • Débora Bergamasco, SBT Brasil, do SBT;
  • Thiago Nolasco, então do SBT Brasil, do SBT;
  • Augusto Nunes, Os Pingos nos Is, da Jovem Pan;
  • Luciana Gimenez, Luciana by Night”, da RedeTV!;
  • Alberto Armendáriz, La Nación (Argentina);
  • Mauricio Lima, Veja;
  • Policarpo Junior, Veja;
  • Guido Nejamkis, jornal Clarín (Argentina);
  • Fernanda Salles, Terça-Livre;
  • Jussara Soares, O Globo;
  • Leda Nagle, canal do YouTube;
  • Natuza Nery, GloboNews;
  • Antonia Fontenelle, canal do YouTube.


Entre todos, os jornalistas Augusto Nunes (Jovem Pan/Veja), José Luiz Datena (Band) e Thiago Nolasco (que foi do SBT e hoje está na Record) foram os únicos a conseguirem duas entrevistas com Bolsonaro.

Chamado de “inimigo” no episódio que culminou na primeira demissão de um ministro do governo (Gustavo Bebianno), o Grupo Globo conseguiu espaço na agenda do chefe do Executivo em duas ocasiões para entrevistas: a Jussara Soares, do jornal O Globo; e a Natuza Nery, da GloboNews.

Também em destaque, entre os que conseguiram entrevistar o presidente, estão duas jovens: a estudante Beatriz Castro, que entrevistou o presidente em 6 de maio, após cerimônia de comemoração dos 130 anos do Colégio Militar do Rio de Janeiro; e a “repórter mirim” Esther, de 8 anos, que publicou a entrevista em 29 de abril em seu canal do YouTube “Programa da Esther”.

Bolsonaro em entrevista ao Programa da Esther

 

REUNIÕES COM JORNALISTAS E DONOS DE MÍDIA

Além das entrevistas, o presidente Jair Bolsonaro recebeu 5 jornalistas em 9 reuniões, cafés e almoços no Planalto.

Dos encontros, 4 foram com o ex-Globo Alexandre Garcia; 2 com o apresentador Ratinho (SBT); e 1 com Augusto Nunes (Veja), Heraldo Pereira (GloboNews) e Roberto D’ávila (GloboNews) cada.

Além disso, o presidente também recebeu em 21 reuniões 16 representantes de 13 empresas e associações de comunicação.

Os dados revelam ainda que Bolsonaro esteve oito com representantes da Record; com dois da CNN; dois da RedeTV; e um do SBT e do Globo, cada.

Quem teve mais que um encontro com Bolsonaro:

  • Marcos Vinícius, CEO da Rede Record: três vezes;
  • Douglas Tavolaro, CEO da CNN Brasil: duas vezes;
  • Márcio Novaes, presidente da Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão) e diretor corporativo da Rede Record: duas vezes;
  • Marcelo de Carvalho, vice-presidente da RedeTV: duas vezes;
  • Luiz Cláudio Costa, presidente da Rede Record: duas vezes.


Eis os outros nomes dos representantes que reuniram-se com o presidente uma vez cada:

  • Allan dos Santos, dono do Terça Livre;
  • Antônio Augusto Amaral, presidente do grupo Jovem Pan;
  • Antonio Guerreiro, vice-presidente de jornalismo da Record;
  • Ernani Paciornik, presidente da Revista Náutica;
  • Fabiano Freitas, presidente da Record TV/Rio;
  • Gláucio Binder, presidente da Confederação Nacional da Comunicação Social;
  • Johnny Saad, presidente do grupo Bandeirantes;
  • José Roberto Maciel, presidente do SBT;
  • Orli Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Mídias Evangélicas;
  • Paulo Tonet, vice-presidente institucional do grupo Globo;
  • Vicente Jorge, da Associação Brasileira de Emissores de Rádio e Televisão;


CAFÉS COM JORNALISTAS

Bolsonaro ofereceu sete cafés da manhã para a mídia de fevereiro a julho, no Palácio do Planalto. Recebeu 114 repórteres, colunistas, editores e apresentadores. É um recorde em relação a todos os presidentes anteriores.

O primeiro encontro com profissionais da mídia foi em 28 de fevereiro. O último foi em 19 de julho, quando disse que “falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira”.

No total, 54 veículos de comunicação foram representados. Ex-Globo, o jornalista Alexandre Garcia também já foi convidado, mesmo sem estar ligado, por ora, a nenhum veículo.

Os veículos que participaram mais vezes dos cafés foram da RedeTV! (6), da Record (6), da GloboNews (5), da BandNews (4), do Correio Braziliense (4) e do Valor Econômico (4). O Poder360 participou de 3 dos 7 encontros.

Nos encontros, os profissionais podem questioná-lo sobre temas de interesse público. Não podem gravar o áudio nem fazer imagens, mas fazem anotações sobre o que é dito. O Planalto grava tudo, em áudio e vídeo. As imagens são divulgadas depois.

Eis as datas dos encontros e o total de profissionais recebidos em cada um deles:

  • 28.fev: 11 jornalistas;
  • 13.mar: 12 jornalistas;
  • 05.abr: 15 jornalistas;
  • 25.abr: 16 jornalistas;
  • 23.mai: 17 jornalistas;
  • 14.jun: 29 jornalistas;
  • 19.jul: 14 jornalistas.

Além dos cafés, em 22 de agosto, Bolsonaro recebeu 50 pessoas ligadas a associações e a veículos de mídia da região Sul. O encontro foi organizado pela Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão). 

Na ocasião, Bolsonaro defendeu a importância da “imprensa regional” e reclamou do que chama de “má vontade da mídia nacional” em interpretar suas declarações sobre diversos assuntos.

Marcos Corrêa/Planalto – 22.ago.2019


Também no Planalto, em 4 de julho o presidente recebeu 12 integrantes do grupo “YouTubers de Direita” –assim também foram chamados em agenda oficial. O encontro foi realizado por intermédio da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS).

ALMOÇO-SURPRESA

Em 31 de agosto, o presidente surpreendeu 6 jornalistas que o esperavam na entrada no Quartel General do Exército, em Brasília, e os convidou para almoçar. Falou com o grupo durante 1h30 em churrasco com membros do gabinete. A conversa não pôde ser gravada.

Eis os jornalistas que participaram:

  • Danielle Brant, Folha de S. Paulo;
  • Fabio Murakawa, Valor Econômico;
  • Lorenna Rodrigues, O Estado de S. Paulo;
  • Mariana Ribeiro, Poder360;
  • Naira Trindade, O Globo;
  • Raphael Veleda, Metrópoles.

(Levantamento feito pelo Poder 360)