Deputados socialistas, Felipe Rigoni (PSB) e Ted Conti (PSB)

BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – Se depender dos dois deputados do PSB capixaba o pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro não vai prosperar.

Tanto Felipe Rigoni, como Ted Conti, ambos do ES e ligados ao governador Renato Casagrande, não pretendem assinar o pedido encaminhado pelo líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ).

Eles alegam que o momento não é adequado, já que o foco deve ser o combate a pandemia que cada vez  mais agrava a situação do Brasil.

O deputado Ted Conti disse hoje que o país deve priorizar o combate ao coronavírus, por isso não assinou o pedido de impeachment.

Ele não esclareceu, no entanto, se no futuro assinaria. Mas o deputado tem feito muitas críticas ao comportamento do presidente Bolsonaro.

Crimes

O pedido de afastamento do presidente é baseado em vários crimes que ele praticado. Mas com o Congresso praticamente fechado, dificilmente o processo andaria, neste momento.

 Além do PSB, e do PSL, que elegeu Jair Bolsonaro, mais um partido apresentará outro pedido de impeachment, o PDT.

O estopim para respaldar o pedido do PSB foi a revelação pelo ex-ministro Sérgio Moro de que Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal e no Ministério da Justiça para proteger seus filhos.  (foto Alexandre Molan)