Deputada Federal Dra Soraya (PSL)

BRASÍLIA AGENCIA CONGRESSO -A deputada federal dra. Soraya Manato votou contra a indicação do filho do presidente Jair Bolsonaro, deputado Eduardo Bolsonaro, para líder do partido dela na Câmara, o PSL.

A parlamentar capixaba ficou do lado dos deputados que se rebelaram contra o presidente da República e apoiam o presidente nacional, Luciano Bivar (PE), que está sendo investigado pela PF por suspeita de desviar recursos do partido destinado as mulheres.

Bolsonaro sofreu um dupla derrota ao perder dentro da própria bancada, e ainda ver seu filho Eduardo derrotado pela maioria. O presidente chegou a telefonar para alguns deputados pedindo votos mas não conseguiu emplacar o filho. Para dra Soraya ele não telefonou.

A crise na principal bancada governista da Câmara prejudica as votações do governo e atrasa as reformas que precisam ser implementadas. O teve início semana passada após o presidente tentar tomar o controle do partido de Bivar alegando falta de transparência.

Eleita pela onda Bolsonaro e credora da popularidade do presidente, a Dra Soraya surpreendeu ao votar no delegado Waldir e ainda criticar os métodos usados por seu partido para tentar destituir o goiano.

Guerra continua

Mantido no cargo, o líder Delegado Waldir afirmou em reunião interna da ala ligada ao presidente do partido, Luciano Bivar (PE), que vai “implodir” o presidente Jair Bolsonaro. O áudio do encontro, gravado por um dos presentes, foi obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Existe a suspeita de que vários presidentes regionais do PSL – e de outros partidos – usaram a mesma estratégia, de aplicar parte dos 30% dos recursos destinados as candidatas mulheres nas despesas de todos os candidatos, a maioria homens.

Bivar teria ameaçado dar nomes aos bois alegando que as contas dos diretórios estaduais não são de responsabilidade dele, mas sim dos diretórios regionais. E que não se justificada tentar tomar o partido dele por um crime que ele não cometeu.

Nota à imprensa distribuída pela deputada

Devido aos últimos acontecimentos em relação ao PSL, venho a público esclarecer o meu posicionamento. Em primeiro lugar, eu ingressei no partido porque me identifiquei com as bandeiras levantadas pelo grupo, observava que eram pessoas fortes, coerentes e que buscariam defender o fortalecimento do Brasil, em todos os setores.

Todas as minhas atitudes como deputada federal executo de forma transparente, correta e séria, sempre em prol dos meus eleitores e da população capixaba. Sobre o ocorrido ontem(16),com relação a eleição do deputado federal Eduardo Bolsonaro para ocupar a cadeira de líder do PSL na Câmara, não achei a condução justa, pois no início dessa legislatura todos nós concordamos e votamos no deputado federal Delegado Waldir (PSL/GO) para nos representar na Câmara Federal, com um mandato de um ano.

Faltando apenas 45 dias para a eleição da liderança foi feito esse ato que não fez parte da vontade da totalidade dos parlamentares. Não houve nenhum motivo para a retirada dele na condução do nosso partido. Ele foi injustiçado, sem mais e nem menos. Não há nenhum motivo plausível para a troca de líder. Sou uma pessoa correta e justa, não podemos misturar as ações do Executivo com o Legislativo.

Sou a favor do Governo Jair Bolsonaro, sou de direita e sou defensora do Brasil, mas quero seguir com a minha conduta coerente e sincera com todos, que elogia as boas ações, mas crítica o que não acha correto. Dep. Dra Soraya