BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – Presidentes regionais do PMDB, PR, PP, PDT,PHS, e Solidariedade disseram ser contra a adoção da lista fechada para as eleieções do ano
que vem.

Apenas o deputado federal Marcus Vicente, presidente regional do PP, avaliou que esse
dispositivo deva ser adotado após um período de transição. Ele sugere a eleição de 2034.

“A lista fechada tem que vir precedida da cláusula de barreira. Estabelecendo de 2% a
5% de quatro em quatro anos até chegar em 2034 com no máximo nove partidos. E,
aí, sim, poderíamos pensar em lista fechada”, disse Vicente.

“Sou contra a lista fechada em qualquer modelo. Eu sou favorável ao distritão que é o
modelo que elege os mais votados”, informou Manato, que preside o Solidariedade no
ES.

LAVA JATO
“A lista fechada é válida onde se tem partidos fortes como em alguns países europeus
que possuem uma democracia muito mais amadurecida do que a nossa”, comentou
Jorge Silva, presidente do PHS.

“Nesse momento do País, a lista fechada viria para proteger grandes lideranças
partidárias que estariam envolvidas na Lava Jato”, completou o parlamentar do PHS.
“A lista fechada precisa vir com o voto distrital misto. Onde se tem uma parte da
bancada eleita pelo sistema de lista e aqueles que são votados pelos interesses
locais”, falou Lelo Coimbra.

Parlamentar Lista Fechada
Carlos ManatoContrário
Jorge SilvaContrário
Lelo CoimbraContrário
Magno MaltaContrário
Marcus VicenteContrário
Sérgio VidigalContrário