Disputa política pela paternidade do contorno do Mestre Álvaro, na Serra.

BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – A previsão de conclusão do contorno rodoviário Mestre Álvaro, principal obra do governo federal no ES, é dezembro de 2021. Muito provavelmente vai ficar para 2022, ano de eleição.

Serão investidos no local cerca de 381 milhões, ou mais. O Contorno do Mestre Álvaro, no município da Serra, possui 19,7 quilômetros de extensão, tendo início no km 249 e final no km 275 da BR-101/ES.

Esse novo acesso vai desafogar um gargalo logístico na região metropolitana da Grande Vitória, diminuindo a distância entre os municípios de Serra e de Cariacica em 15 quilômetros, e tirando o tráfego pesado da capital.

BRIGA – Mas disputas políticas podem prejudicar a obra. Aliados do presidente Bolsonaro no ES tentam ”amarrar” uma visita do presidente à obra, em outubro, para promover seus candidatos as eleições municipais.

O pedido foi feito pela deputada Soraya Manato. Mas a Casa Civil do Planalto disse não, alegando que o presidente não visita obra inacabada. Mesmo assim permanece a cobrança, segundo relato de outro federal capixaba.

A sugestão para o presidente ir ao ES – para inaugurar a obra pronta – partiu da própria direção do Denit e foi feita durante audiência do diretor-geral do órgão, General Santos Filhos, dia 26 de agosto, ao deputado federal Sérgio Vidigal (PDT/foto).

Pré candidato a prefeito da Serra, Vidigal é presidente da comissão externa que fiscaliza o andamento das obras do Contorno na Câmara Federal, e há dois mandatos destina recursos para obra via emendas ao Orçamento da União.

Na teleconferência com a direção do Dnit o deputado pediu mais R$ 72 milhões para a continuidade da obra, uma vez que os R$ 18 milhões destinados anteriormente não serão suficientes para manter o seu andamento até dezembro deste ano.

PANDEMIA – Mesmo com a pandemia de coronavírus as equipes têm trabalhado ininterruptamente, inclusive durante finais de semana e feriados, garante o Denit.

As obras do contorno do Mestre Álvaro tem recursos garantidos para 2020, num esforço conjunto da Bancada do Espírito Santo e da Comissão Externa que acompanha as obras, por meio de emenda impositiva ao Orçamento Geral da União.