Bancada perde espaço de poder no Congresso

5

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO –  Com uma bancada de apenas dez deputados federais e três senadores, os espaços de poder ocupados por capixabas em cargos de relevância no cenário nacional praticamente se resumirá, em 2017, a dois postos no Congresso:

O comando da Comissão Mista de Orçamento (CMO), pela senadora Rose de Freitas, e a Liderança da Maioria pelo deputado Lelo Coimbra, ambos do PMDB, partido do presidente Temer.

Ex-líder do governo Temer no Congresso Nacional entre os meses de junho a novembro de 2016, Rose está perto de se tornar novamente presidente da principal comissão do Congresso.

CDU

Colegiado de menor influência a Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara Federal está sob o comando de um capixaba desde o dia 23 de março.

É uma  das comissões mais antigas da Casa, criada em 1985. A ela compete analisar o mérito de todas as propostas que versam sobre arquitetura, habitação, saneamento, fomento regional, organização municipal, urbanismo e urbanização.

Em seu discurso de posse, Vieira afirmou que sua gestão a frente da CDU dará importância aos projetos que visam garantir a infraestrutura urbana, como os de investimento em casas populares. A comissão possui 18 deputados titulares e outros 18 suplentes.

MESA

Já o deputado Carlos Manato (SD), suplente da Mesa Diretora da Câmara Federal, é o mais assíduo entre os capixabas e também entre os demais 512 colegas no comparecimento ao plenário. É ele que abre e encerra as sessões.

Exercendo o terceiro mandato, Manato afirmou que é o deputado que mais preside as sessões plenárias.

Além de substituir os secretários da Casa, cabe a ele também acompanhar as reuniões da Mesa Diretora que definem o regramento interno da Câmara dos Deputados.

Questionado como avaliaria o atual tratamento dado pelo governo Temer ao ES, Manato informou que em relação ao governo da ex-presidente Dilma a situação melhorou. Segundo ele, pelo menos o “aeroporto está saindo”.

Coordenação

Coordenador da bancada federal capixaba no Congresso, o deputado Marcus Vicente (PP) afirma que a função que vem sendo desempenhada por ele desde 2016 é “extremamente gratificante”.

“Coordenar a bancada é muito mais que exercer uma função executiva, é trabalhar a união dos parlamentares em favor das demandas do Estado junto ao Governo Federal”, disse.

“Enquanto Bancada Capixaba, estamos acima de siglas partidárias ou bandeiras regionais, mas focados na defesa dos interesses de todos os nossos cidadãos”, complementou.

 Maioria

Ainda sem designação oficial, o deputado Lelo Coimbra (PMDB) foi indicado pelo presidente Temer para exercer a função de Líder da Maioria na Câmara.Já exerce a função mas a Câmara ainda não votou o Projeto de Resolução 211/17 apresentado no último dia 14 pelos membros da Mesa Diretora, que criam o cargo e a função.

A matéria aguarda deliberação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. De acordo com a proposta, a liderança da maioria será composta por um líder e nove vice-líderes.

Grupo

Ao senador Ricardo Ferraço (PSDB) coube coordenar o Grupo de Trabalho da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado que analisará mudanças no Sistema Tributário Nacional.

Pelos próximos dois meses, o grupo que o tucano coordena realizará debates e audiências públicas que terão como objetivo a adoção de sugestões que melhorem a legislação que versa sobre a arrecadação de impostos, taxas e tarifas.

“Não se trata de formular uma proposta de reforma tributária. Estamos fazendo um mergulho aprofundado e preciso acerca de todos os gargalos que esse sistema impõe à economia brasileira”, comentou Ferraço.

Vice-líder

Por sua vez, o deputado Evair Vieira de Melo exerce a função de vice-líder do PV na Câmara, partido que possui seis deputados. O mesmo cargo de vice-líder é também exercido no PR do Senado por Magno Malta, legenda que tem naquela Casa quatro senadores.

Os demais deputados capixabas Jorge Silva (PHS), Helder Salomão (PT), Norma Ayub (DEM), Paulo Foletto (PSB) e Sérgio Vidigal (PDT) se encontram apenas exercendo o mandato parlamentar.

Na legislatura passada os espaços de poder ocupados pelos capixabas eram maiores, como a Liderança do governo no Congresso, com a senadora Rose de Freitas, a Corregedoria, com o deputado Manato, e a liderança do PSB na Câmara, com Paulo Foletto.