Deputada federal Norma Ayub (DEM-ES) indicou o superintendente do Ibama, Diego Libardi

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – Dois meses após a edição de um decreto que instituiu o “banco de talentos”, a maioria dos cargos de segundo escalão nos Estados ainda está vaga.

O banco de talentos é um sistema integrado onde os parlamentares podem fazer as suas indicações diretamente na plataforma online. Três nomes indicados pela Bancada Capixaba já assumiram cargos federais no Espírito Santo.

Após a aprovação da Reforma da Previdência em primeiro turno, o governo prometeu “destravar” a distribuição dos cargos federais nos estados. A Bancada Capixaba teve oito votos a favor do projeto do governo e dois contra.

O Executivo tenta se manter simpático ao Congresso para aprovar a reforma em segundo turno, mas os nomes do ES passam pela bancada estadual.

O deputado federal e coordenador da Bancada Capixaba, Da Vitória (Cidadania) disse para a Agência Congresso que há, no Espírito Santo, 10 cargos de livre indicação e 50 cargos de chefia efetivos e que nenhum dos cargos efetivos foi preenchidos por indicação.

“Entre os deputados da Bancada Capixaba, alguns governistas fizeram indicações, os deputados de oposição, de forma coerente, declinaram, e de uma maneira muito bem combinada o governo solicitou às bancadas estaduais alguma sugestões”, disse.

Os três cargos ocupados por nomes indicados pela bancada são a chefia da Divisão de Agricultura e Pesca, José Eduardo Cogo, indicado por Da Vitória e pelo senador Marcos do Val (Cidadania).

Já Aureliano Nogueira da Costa, o novo superintendente federal de Agricultura, foi indicado pela deputada federal Dra Soraya (PSL). 

O superintendente do Ibama, Diego Libardi, por sua vez, é ligado à Norma Ayub – ele preside o DEM de Cachoeiro.

“Momentaneamente essas foram as únicas nomeações, conforme forem publicados os nomes, nós [bancada capixaba] vamos comentando”, completou Da Vitória.

Deputada Federal Dra Soraya (PSL)


A deputada Dra Soraya disse para a Agência Congresso que “a escolha do Ministério foi para Aureliano Nogueira da Costa e isso me orgulha muito, afinal, trata-se de um engenheiro agrônomo altamente gabaritado, com mestrado e doutorado na área.”

Amaro Neto (PRB) também admitiu ter indicado nomes aos cargos federais, mas disse que só vai comentar a respeito à medida que os nomes indicados por ele sejam escolhidos.

Não indicaram ninguém – Os deputados Evair de Melo (PP), Felipe Rigoni (PSB), Ted Conti (PSB), Helder Salomão (PT) e Lauriete (PL) informaram à reportagem que não fizeram nenhuma indicação.

O senador Fabiano Contarato (REDE/ES) é contra o método – por indicação – e defende que sejam feitos processos seletivos.

Senador Fabiano Contarato (REDE)


“Entendo que os órgãos públicos devem ser geridos de modo técnico, com critérios de competência e de mérito, defendo a promoção de processos seletivos.”, disse o senador para a Agência Congresso.

A assessoria de imprensa do deputado federal Sérgio Vidigal (PDT) informou que o parlamentar não fez indicações de cargos federais pois, assim, mantém independência em relação ao Governo Federal nas votações.

A senadora Rose de Freitas (PODE) foi procurada, mas não respondeu. No entanto, a senadora não fez nenhum indicação no atual governo.

Mas no governo anterior a senadora detinha o comando da Codesa e da Cia Docas do ES, que será privatizada, junto com o deputado Paulo Foletto (PSB).