Após decisão do TSE, governo corre com reformas

11

BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – Reunido com lideranças da base de apoio, logo após o jukgamento do TSE, o presidente Michel Temer pediu pressa para aprovar as reformas no Congresso.

A Reforma Trabalhista será aprovada até dia 28 deste mês. Os congressistas não pensam em suspender o recesso parlamentar previsto para julho.

Um acordo entre os senadores da base governista e da oposição permitiu a definição de um novo calendário para a votação da reforma trabalhista na Casa.

Havia a expectativa da leitura do relatório do senador Ricardo Ferraço, na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), mas a leitura foi marcada para a próxima quarta-feira (13/6).

O líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), dará seu parecer e levará à votação no dia 28 de junho. No mesmo dia, Jucá acha que é possível que a matéria seja apreciada no plenário do Senado.
“Nós teríamos o encerramento de votações em comissões no dia 28, podendo, aí, essa matéria ir a plenário no mesmo dia. Uma vez que a matéria estiver pronta o presidente pauta no dia que ele quiser”, disse Jucá.
A crise política e as incertezas na economia devem atrasar investimentos e as obras de infraestrutura por mais dois anos.
Para especialistas, esses fatores, somados ao histórico de corrupção, atraso e sobrepreço nos grandes empreendimentos, afastam o interesse de potenciais investidores em novos projetos e concessões, necessários para o desenvolvimento do Brasil.
Por conta dessa situação, também a Reforma da Previdência ficará para agosto, podendo ser votada até setembro.