BRASÍLIA – Dois dias antes de embarcar com a família para Nova York em seu jato particular, o empresário Joesley Batista, da JBS, mandou para Miami seu iate de luxo.

Depois de confessar ter pago propina para políticos, incluindo o presidente Michel Temer,
Joesley fez um acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR) e
recebeu permissão para deixar o país.

O peemedebista tem negado envolvimento em irregularidades.

Batizado de “Why not”, o iate Azimut 1.000 Leonardo é um dos maiores e mais luxuosos que existia no país. É o modelo mais caro do estaleiro italiano e tem como inspiração Leonardo Da Vinci.

Com 30 metros de comprimento e três andares, o iate tem quatro quartos, cozinha, sala de estar integrada com o deck e banheira de hidromassagem. O empresário teria pago R$ 20 milhões pelo barco.

O caso repercutiu nas redes sociais com fotos e vídeos do iate sendo embarcados num navio.

A JBS confirmou que “a embarcação pertence a Joesley Batista” e que “saiu do porto de Itajaí (SC) com destino aos EUA”. Segundo a empresa, “o iate vai ser reparado e colocado à venda”.

Com informações do Correio do Estado